domingo, 5 de julho de 2015

Red Hot Chili Peppers live @ Ahoy, Netherlands (Flea's Birtday gig) - 16/10/1995


No dia 16 de outubro de 1995, o Red Hot Chili Peppers se apresentou no The Ahoy em Rotterdam, Netherlands em turnê mundial do álbum "One Hot Minute".

Além do mega e espetacular show, foi comemorado o aniversário do baixista Flea!

Set list:

1. Grand Pappy Du Plenty
2. Give It Away 
3. Suck My Kiss 
4. Aeroplane 
5. Warped 
6. Walkabout 
7. Come As You Are intro (Nirvana cover)
8. Backwoods 
9. Ten Years Gone - tease (Led Zeppelin cover)
10. My Friends 
11. Sweet Home Alabama (Lynyrd Skynyrd cover)
12. Coffee Shop 
13. Sound and Vision (David Bowie cover)
14. Higher Ground (Stevie Wonder cover)
15. Hey Joe (Jimi Hendrix cover)
16. Transcending 
17. Pea 
18. Faith - tease (George Michael cover)
19. Under the Bridge 
20. Deep Kick 
21. Happy Birthday to Flea
22. Suffragette City (David Bowie cover)

Áudio:


Agradecimentos: Cenitri

sábado, 4 de julho de 2015

Review: Josh Klinghoffer falou sobre seu amor por discos de vinil para a Vinyl District

Matéria publicada pelo site Vinyl District e  traduzida por Alessandra do site Josh-klinghoffer.org em junho de 2014.

"Enquanto eu crescia, pelo o que consigo lembrar, havia uma torre enorme na sala de estar... álbuns do meu pai."
"Era uma estante cheia, cerca de sete metros de altura. Eu me lembro que era da onde vinha todos os sons incriveis e imagens. De Culture Club até os álbuns dos Beattles! Eu posso dizer que meu pai não gostava que eu ficasse mexendo naquilo que ele passou um enorme periodo de tempo construindo, organizando e fazendo a manutenção. Com certeza, essa atitude me fazia querer mexer naquilo ainda mais, mas eu tinha que fazer isso com muito cuidado, secretamente e acima de tudo com (muito) respeito. Eu tratava cada um daqueles disco de vinil coloridos de doze polegadas como obras de arte. Meu amor e reverência por álbuns, nascia.


Minha geração, bem... era a geração dos CDs. Eu fiz com os meus CDs a mesma coisa que o meu pai fazia. Exatamente a mesma coisa. O mesmo cuidado, separados em ordem alfabética com uma organização meticulosa. Quando eu era criança, sempre que surgia um dinheiro extra, eu sempre comprava álbuns especiais em vinil. Lentamente construia minha própria coleção. Depois de me mudar e os realocar às pressas algumas vezes, os CDs tornaram-se um fardo, em um momento de crise financeira e inquietação, eu tomei a decisão de só colecionar discos de vinil! Foi uma decisão ousada e eu quase chorei quando vi meus amados CDs sendo colocados um por um em uma caixa como se fossem criancinhas desprezadas.



Felizmente, todo o público de compradores de música seguiram o mesmo caminho para que o vinil voltasse! Eu sinto que, nós sempre iremos querer ter o que é nosso, em nossas mãos, se pudermos. Quando ouvimos o que amamos, nós queremos ser capazes de tocar em algo, como uma forma de agradecimento. Eu não sei. Eu amo comprar discos. Eu adoro voltar pra casa com uma pilha de coisas novas pra explorar. Eu amo cada vez mais os convites do vinil, quase exigem sua atenção. É fisico. Você pode ouvi-lo funcionando. Agora eu estou prestes a começar a decidir onde eu vou construir uma nova prateleira para meus discos, pois com os que eu possuo atualmente, estou oficialmente do lado de fora do quarto.
Discos de Vinil. Álbuns. Eu os amo." - Josh Klinghoffer
Créditos: thevinyldistrict.com Tradução: josh-klinghoffer.org

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Review: Flea no filme "De Volta Para O Futuro"



A trilogia "De Volta para o Futuro" é com certeza um dos maiores clássicos da história da cultura pop. Passados quase 20 anos do lançamento da última parte da franquia, ela ainda é tema de produtos e matérias em jornais e revistas, além de ser reprisada constantemente tanto na TV aberta quanto na paga. Um dos pontos altos da produção é o grande número de referências sobre a música pop, que vai desde a participação de artistas ou simplesmente citações feitas pelos personagens.

Logo no início do primeiro filme já se tem uma destas referências. O protagonista da história, Marty McFly, está em uma audição com sua banda, e um dos jurados é interpretado por Huey Lewis, que canta "Power of Love", tema do longa.

Lá pelo meio do filme, quando o McFly está no ano de 1955 e precisa convencer seu pai de que é um alienígena, ele põe fones de ouvido nele e coloca pra tocar um solo de guitarra de Van Halen. Mas a citação mais famosa da primeira parte está no final, quando McFly está tocando guitarra em um baile e puxa "Johnny B. Goode", de Chuck Berry. Ao perceber o espanto da plateia, ele diz: "Vocês ainda não estão preparados para isso, mas seus filhos irão adorar". Logo em seguida aparece um suposto primo de Berry falando com ele ao telefone: "Primo, sabe aquele som que você estava procurando? Você precisa ouvir isso!".

A segunda parte da história se passa no ano de 2015, e o tema do filme é "I Can't Drive 55", de Sammy Hagar. Em uma das cenas, Marty está em um bar onde os garçons são holográficos, sendo que um deles é Michael Jackson. É neste filme também que aparece o personagem Nedlless, interpretado por ninguém menos que o baixista do Red Hot Chili Peppers, Flea, que volta a aparecer também no final do terceiro filme.

A última parte da trilogia se passa no velho oeste, e a grande participação especial é a dos barbudos do ZZ Top. O tema do longa é a canção da banda "Doubleback". Eles aparecem como um grupo que toca no baile que acontece na história.

Além destas, a trilogia ainda traz outras inúmeras referências à cultura pop, sejam relacionadas a filmes, artistas e até marcas famosas. Nos últimos anos, a produção passou a ser lembrada também através do grupo McFly, que tem esse nome em homenagem ao protagonista da história.

É por essas e outras que "De Volta Para o Futuro" se transformou em um marco não só do cinema, mas da cultura em geral.

Créditos: Blogcena.com

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Guitarras utilizadas por John Frusciante ao longo dos anos

Matéria publicada pelo site Universo Frusciante em abril de 2010.

Guitarras Fender

Fender Stratocaster Sunburst (1970)

Fender Stratocaster Fretless (ano ?)
Fender Jaguar (1965)

Fender Jaguar Blue (1962)

Fender Stratocaster Sunburst (ano ?)

Fender Stratocaster Black (ano ?)

Fender Stratocaster Red (ano ?)

Fender Stratocaster Red Fiesta (1962)

Fender Jaguar Red Fiesta (1962)

Fender Telecaster Sunburst (1963)

Fender Jaguar Sparkle Green (ano ?)

Fender Stratocaster Olympic White (1961)

Fender Stratocaster Sunburst (1955)

Fender Stratocaster Sunburst (1962)


Guitarra Ibanez

Ibanez RG 250 DX (ano ?)


Guitarra Gretsch

Gretsch White Falcon (1955)


Guitarras Gibson

Gibson Les Paul Black Beauty (1969)

Gibson SG Custom cherry red (1962)

Gibson Les Paul Custom Black (1969)

Gibson ES-175 vintage (1950)

Gibson SG sunburst 1961

Gibson ES-335 Dot Sunburst (1961)


Outras Guitarras

Rickenbaker ??
Fender Mustang Red Fiesta (1969)
Fender Jaguar white (1966)

Gretsch White Falcon (1955)
Fender Stratocaster Maple-Necked (1955)
Fender Stratocaster Sunburst (1962)
Fender Telecaster Sunburst (1963)
Fender Telecaster Sunburst (1965)
Agradecimentos: Universo Frusciante

Review: Chad Smith & Ian Paice - Modern Drummer Festival 2005

Em 2005, o festival mais prestigiado de bateria do mundo mudou-se para o espectacular New Jersey Performing Arts Center (NJPAC), e a combinação de talentos de classe mundial e instalações de classe mundial levantou a barra para todos os festivais de bateria no planeta.

Os bateristas Chad Smith (Red Hot Chili Peppers) e Ian Paice (Deep Purple) fizeram uma apresentação incrível neste festival. Abaixo o vídeo da apresentação:

  

terça-feira, 30 de junho de 2015

Review: Significado das músicas do Stadium Arcadium por John Frusciante e Anthony Kiedis

O vocalista Anthony Kiedis e o ex-guitarrista John Frusciante explicaram o significado das músicas do álbum Stadium Arcadium, marcado por ser o último com John na guitarra, é o nono álbum de estúdio da banda Red Hot Chili Peppers, lançado em 5 de maio de 2006 através da Warner Bros. Records. O álbum ganhou sete indicações ao Grammy Award em 2007, incluindo um prêmio de Melhor Álbum de Rock. Foi o maior número de indicações que a banda acumulou em seus 25 anos de carreira.


Jupiter

Dani California:
AK: Eu quis dar continuidade à estória de Dani (que apareceu no Californication e no By The Way). Ela é a filha de um policial sulista - uma garota de mente criminosa que prospera em uma catástrofe, mas desta vez ela conhece seu fim.
Snow ((Hey Oh)):
AK: Pessoalmente, minha favorita. A letra diz (juntamente com o refrão 'I really can't go to that well no more') que nunca é tarde para mudar a sua vida, por mais fodido, sujo e destruído você estiver. Uma camada fresca de neve sempre pode cair e tornar o chão sujo em puro.
Charlie:  
AK: Charlie é a sua imaginação, um espírito que vive em sua mente. Ou poderia ser uma garota ou talvez cocaína. A cocaína não foi a inspiração, mas algumas pessoas pensam que foi. 
Stadium Arcadium:
AK: É sobre um tipo de sentimento religioso quando a banda e os fãs se tornam um só. Que nem quando eu fui ver Jah Wobble e PIL em 1979. Esta é a minha primeira memória de uma experiência quase-religiosa em um show. E anos depois aquela porra de banda tentou roubar nosso baixista! 
Hump De Bump:
John: A velha canção do Red Hot, American Ghost Dance, tem praticamente a mesma linha de baixo. É tipo a segunda parte. Flea tocou trompete nela, o que é ótimo, então, eu não senti que nós estávamos depravando o mundo de um grande tocador de trompete. 
She's Only 18:
AK: É sobre uma garota que nasceu nos anos 80 e não gosta dos Rolling Stones. A partir daí a estória se desenvolve totalmente randomicamente. Tem o melhor solo de guitarra do John que você pode ouvir ficando auditivamente excitado pelo o que ele está fazendo. 
Slow Cheetah:
AK: "Esta foi inspirada na minha ex, Yohanna. Ela se parecia como uma onça. É sobre a euforia de todas as experiências da vida, até mesmo as ruins."
Warlocks: 
John: Eu gosto desse principalmente pelo título. Soa como uma coisa meio Led Zepellin ou Rush, ou algo parecido. Este é o problema com as bandas de hoje. Eles querem ser o Joy Division. Eu amo Joy Division. Mas as pessoas precisam adicionar algo novo. 
C'mon, Girl:
AK: Eu estou olhando para os meus dias de loucuras no passado e avaliando o preço.
Wet Sand:
AK: É sobre um cara que acredita na criação divina discutindo com uma garota, um trem desgovernado que acredita na evolução. Eles discutem e não conseguem se reconciliar. 
Hey:
AK: A canção chave. Ela te leva ao lugar de antes de você nascer e depois que você morre. É sobre colocar pra fora aquela coisa que você tem estado dependente mas ela tem te matado.


Mars

Desecration Smile:
John: Isto soa como The Eagles? Eu não tenho interesse pelo som do Eagles. Em termos de harmonia, eu prefiro os Beach Boys. Muitas pessoas estão notando as palavras religiosas de Anthony, mas ele não tem ido à Igreja, pelo que eu saiba.
Tell Me Baby:
John: Um semi-rap old school no estilo Chili Peppers. Kiedis, completamente num estilo Casanova perguntando, "Me diga, garota, você está sozinha?", dá à música um tom de um jantar calmo, seguido de Monarch Of Glen que não estavam incluídos na agenda. 
Hard To Concentrate:
AK: Eu compus essa música {com um subjetivo de casamento proposital} pro Flea pois ele encontrou uma mulher com quem ele quer estar junto para sempre."
21st Century:
AK: Quando o Bush tomou o poder, meu consolo foi, ok, nós temos um império do mal agora. Talvez isso seja bom. Às vezes você tem que acertar bem embaixo embaixo antes das pessoas perceberam que algo precisa ser feito. A linha 'leia-me uma escritura e eu irei retorcê-la' é uma espécia de comentário pro Bush. Mas também pra mim. 
She Looks To Me:
AK: É sobre uma garota que eu conheci há 2 anos atrás, assim que finalizei "Scar Tissue" (bio). Ela estava se auto-destruindo por causa das drogas. Eu estava namorando com ela e isso se tornou disfuncional. No final, eu acho que adquiri um amor paternal por ela. Ela estava em um lugar escuro e traiçoeiro e eu quis salvá-la.
Readymade: 
John: Eu memorizei nota por nota e cada detalhe de um solo de 10 minutos do Hendrix. Ele nunca repetiu a si mesmo. Eu estou tentando não repetí-lo. 
If:
John: Flea que a compôs. Eu estava numa fase Folk, escutando Steeleye Span, Fairport Convention e Joan Baez, então eu toquei um 'guitar slide' nela. Os backing vocals são como a ponta do chapéu de "Brandy", que tem os melhores arranjos de backing vocals.
Make You Feel Better:
AK: Nós fazemos as pessoas se sentirem melhor. Nós fazemos. As pessoas me param o tempo todo pra dizerem que os Chili Peppers mudaram a vida delas. Nós subimos em algo bem alto e trouxemos isso pra baixo para as pessoas.
Animal Bar:
John: O título original era Neu! porque o Flea queria escrever algo {Krautrock} naquele estilo. Eu usei um sitetizador modular na minha guitarra. Eu a terminei como Kraftwerk. Eu a fiz pra Bjork. Ela disse que a guitarra é chata e que ninguém tinha feito algo tã original. Eu vi que aquilo como um desafio.
So Much I:
John: So Much I me recorda a segunda música que fizémos com meu amigo Guy Picciotto, do Fugazi e seu estilo de tocar guitarra, mesmo achando que isso foi algo trazido pelo Flea.
Storm In A Tea Cup:
John: Esta costumava ser chamada de Public Enemy. Eles também inspiraram "Get On Top" do Californication, e são similares. É um verdadeiro ataque intenso do Red Hot, um pouco do passado.
We Believe:
John: Alguns garotos da igreja da minha mãe vieram cantar nela. Eu estou tocando guitarra bem fora do tempo dos outros instrumentos - novamente influenciado pelo Method Man (Wu-Tang Clan) e pelo GZA. Se eu paguei as crianças? Não, elas não foram pagas com dinheiro!
Turn It Again:
John: Ela foi originalmente chamada de Talking Heads por que ela me lembrava eles. Eu amo esta música porque Flea toca nela. Este foi seu primeiro instrumento antes do Punk Rock dominar sua mente.
Death Of A Martian:
John: Anthony compôs uma música sobre o Martian, cachorro do Flea que morreu. Eu estava fazendo os backing vocals para esta música quando o Anthony chegou em mim e disse que seu cachorro, Buster havia morrido. Isso foi incrivelmente emocional. Recentemente, eu ganhei 2 gatos, Aztec e Maya, então eu sei muito bem como a morte de um animal pode ser dolorosa.


Agradecimentos: Universo Frusciante

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Anthony Kiedis está entre as celebridades vegetarianas mais sexy de 2015


De acordo com o site HealthyCeleb, o vocalista do Red Hot Chili Peppers, Anthony Kiedis, aparece entre as celebridades vegetarianas mais sexy de 2015.

Ainda segundo o site, Anthony Kiedis é um dos "cincoentões" mais quentes do rock. Kiedis, que tem sido vegetariano há muito tempo, virou vegan depois que um médico aconselhou a dieta vegan de seu filho. Além disso, ao mesmo tempo, ele assistiu a um documentário sobre a crueldade animal, que endureceu ainda mais a sua determinação em manter uma dieta vegan.

domingo, 28 de junho de 2015

03 anos de lançamento do clipe de "Brendan's Death Song"

Hoje, 28 de junho de 2015, completa 03 anos de lançamento do clipe de "Brendan's Death Song".
O Red Hot Chili Peppers lançou mundialmente o clipe da música "Brendan's Death Song" no dia 28 de junho de 2012. A faixa é o quarto single lançado do álbum I'm With You , décimo álbum de estúdio da banda.
Vídeo clipe de Brendan's Death Song
O vídeo clipe de Brendan’s Death Song foi gravado na cidade de New Orleans no dia 21 de maio de 2012. O vídeo foi dirigido por Marc Klasfeld, que também dirigiu os vídeos de música para The Adventures Of Rain Dance Maggie e Monarchy Of Roses.
Dedicação a Brendan Mullen
A música e o clipe é dedicado a Brendan Mullen, que era um amigo de longa data do Red Hot Chili Peppers e um dos promotores musicais primeiros a tomar conhecimento da banda. Em 1983, Anthony Kiedis e Flea visitaram a Lingerie Club, em Los Angeles, no meio do dia e encontraram Brendan. Ele ouviu a fita enquanto os dois dançavam ao redor dele para transmitir a energia que eles tinham e que queriam mostrar. Brendan ofereceu que abrissem o show dos Bad Brains.
Além disso Mullen estava trabalhando com Blackie Dammett na biografia The Red Hot Chili Peppers: An Oral/Visual History, quando ele morreu de repente, depois de sofrer um derrame em 2009 e foi incapaz de concluir os trabalhos sobre o livro, que foi concluido por sua companheira Kateri Butler e o designer e músico John Curry.
Composição
Sobre a composição, Anthony falou: "Coincidiu de Brendan ter morrido bem no dia que teríamos o primeiro ensaio com Josh Klinghoffer. Eu estava dirigindo de casa em direção as montanhas de Santa Monica quando recebi uma mensagem dizendo que Brendan tinha morrido de um acidente vascular cerebral bem no dia de seu aniversário.
Quando cheguei ao ensaio, falei para o pessoal da banda que tínhamos acabado de perder esta pessoa maravilhosa. E então começamos a tocar sem falar nada. Provavelmente, depois de eu ter dado a notícia, a segunda coisa que saiu daquela jam foi a base para a canção de Brendan's Death Song'. Kiedis disse que a música tem a sensação de uma marcha de morte, mas em última análise, “a música é mais uma celebração do que uma chatice."

Versões dos clipes
A duração da música na versão em vídeo é editado em mais de 2 minutos (em comparação com a versão do álbum.) No entanto, o baterista Chad Smith confirmou na sua página no Twitter que seria lançado um vídeo com um tempo maior. Vejam os dois clipes da música:


sábado, 27 de junho de 2015

Red Hot Chili Peppers - Live in Hyde Park (2004)


Live in Hyde Park é um álbum ao vivo lançado pelo Red Hot Chili Peppers no ano de 2004 via Warner Bros.

Os shows foram gravados ao longo de três noites de shows no Hyde Park, em Londres, em 19 de Junho, 20 e 25, de 2004, durante a turnê  Roll On The Red Tour. Estes três concertos tornaram-se os maiores concertos de bilheteria em um único local na história. Um álbum duplo compilado a partir destes três shows foi direto para o número 1 no Reino Unido e ficou lá por um total de duas semanas, com venda de cerca de mais de 120.000 mil cópias.

Dos oito álbuns de estúdio da Red Hot Chili Peppers, que foram lançados antes do Live in Hyde Park, apenas três são realmente representados no set list deste álbum - Blood Sugar Sex Magik, Californication e By the Way (o single "Fortune Faded", no entanto, foi apresentado apenas na banda na compilação Greatest Hits em 2003). "Under the Bridge" e "Give It Away" foram as únicas músicas de Blood Sugar Sex Magik. As músicas "Leverage of Space" e "Rolling Stone Sly" são exclusivos para esta coleção. A canção "Mini-Epic (Kill For Your Country)", que foi realizado, e originalmente planejado para esta versão, não foi tornado nas versões CD, provavelmente devido a questões delicadas sobre o tema da canção. No entanto, ele pode ser encontrado na maioria das gravações de vídeo exibindo os shows.


Tracklist:

Disco 1
"Intro" - 3:57
"Can't Stop" - 5:13
"Around the World" – 4:12
"Scar Tissue" – 4:08
"By the Way" – 5:20
"Fortune Faded" – 3:28
"I Feel Love" (Donna Summer cover) – 1:28
"Otherside" – 4:34
"Easily" – 5:00
"Universally Speaking" – 4:16
"Get On Top" – 4:06
"Brandy (You're a Fine Girl)" (Looking Glass cover) – 3:34
"Don't Forget Me" – 5:22
"Rolling Sly Stone" – 5:06

Disco 2
"Throw Away Your Television" – 7:30
"Leverage of Space" – 3:29
"Purple Stain" – 4:16
"The Zephyr Song" – 7:04
"Californication" – 5:26
"Right On Time" (Contains the intro of Joy Division's "Transmission") – 3:54
"Parallel Universe" – 5:37
"Drum Homage Medley" – 1:29
"Rock and Roll" (Led Zeppelin)
"Good Times Bad Times" (Led Zeppelin)
"Sunday Bloody Sunday" (U2)
"We Will Rock You" (Queen)
"Under the Bridge" – 4:54
"Black Cross" (45 Grave cover) – 3:30
"Flea's Trumpet treated by John" – 3:28
"Give It Away" – 13:17

Fotos do show:



Escute no YouTube o álbum todo: